"Hoje é algum lugar no tempo em que preciso de tí, não digo o lugar que estou exato, pois sei que no seu coração".Helisâna Rodrigues
Textos


“Amor...
Já vi pobres que eram em seu interior milionários e, como conheço milionários paupérrimos. ”
Helisana Rodrigues
 
 
Nem para ontem ou, amanhã.
Compreender hoje que este é seu caminho, seu dia de aprimorar, treinar a máxima de Cristo de amar o próximo como a si mesmo; e amar indiscriminadamente.
Todos nós sem exceção erramos, uma falta de “ bom dia”, é para alguns mal compreendido; gerando para si o retorno negativo de um pensamento então, chance a todos de receber luz e positividade.
Doar, compartilhar amor a quem não tem ou, desconhece tal sentimento e, o quão bom é receber, sentir, vibrar é nobre.
Dirão que existem os brutos, sem educação, desonrados, ordinários, assassinos, batedores e, mais sei lá o quê. Mas, trucarei que não somos dignos de julgar ninguém e, existe o simples, humilde, que acolhe os animais de rua, auxilia gratuitamente os enfermos, emprestadores de ombros e ouvidos, aquele que tendo um pão o reparte ao meio e doa, existe quem não conheceu o amor por não ter recebido. Lembre-se doamos apenas aquilo que temos, conhecemos ou, vivemos e, isto independe de dinheiro, estudo, berço.
Bom ser amado e, ter um braço que te abraça sem deixa-lo cair;
Bom ter um beijo que sempre te espera sem dia, sem hora, sem jeito, mas, ali presente ao seu lado, somando e acrescentando ao seu caminhar.
Tudo são trechos de sinuosa estrada da vida.
Então por outro lado é bom também compreender que um coração dilacerado segue por vezes trechos solitários e, é doído se ver como solidão, sem braços e abraços, beijos e afagos que te aquecem embaixo de edredons.
Enxergar-se velho, meia estrada a procura de alguém que não sabe quem ou, tomou outro rumo, direção e, que de tanto pensar ficará sem perceber para trás.
Se decidir ser só que seja e, não se desvie do caminho. Uma vez no caminho do amor, não tem volta.
Mas, são coisas que se aprende com os anos quando já se acertou, errou, emendou e, difícil explicar.
Se houver amor de verdade, caridade a si próprio, até pode rolar um feliz para sempre, nova construção, abrir cedências, refazer o coração.
Saudade do que nunca foi teu é ilusão!
Amor que se ama só é dito platônico.
Ame dando milho aos pombos, beijando em meio ao supermercado, levando alimento ao necessitado, fazendo brigadeiros sozinho e, achando que é festa. Amor alimenta o coração.
 
 
**Como escritora, quando reflito no amor que é só lágrimas na escuridão, lembro de um soneto adorável, maravilhoso de Pablo Neruda, intitulado -A Dança- e vou colocar abaixo para apreciação**
 
A Dança
 
Não te amo, como se fosses rosas de sal, topázio ou, flecha de cravos que propaga o fogo: amo-te como se amam certas coisas obscuras, secretamente, entre a sombra e a alma.
Te amo como planta que não floresce e, leva dentro de si, oculta a luz daquelas flores e graças ao teu amor vive escuro em meu corpo o apertado aroma que ascendeu da terra.
Te amo sem saber como, nem quando, nem onde. Te amo diretamente, sem problemas nem orgulho: Assim te amo porque não sei amar de outra maneira, senão assim deste modo.
 Em que não sou, nem és.
Tão perto que tua mão sobre meu peito é minha.
Tão perto que, quando fecha os olhos adormeço.
 
Pablo Neruda

Observação: este soneto é composto por 4 estrofes, 2 de 4 versos e, 2 de 3 versos; o escrevi de memória e não me lembro a divisão correta no momento. Importa mesmo é o soneto
 
Helisana Rodrigues
Enviado por Helisana Rodrigues em 24/04/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr